O Barulho e seus efeitos sobre a audição e zumbido

O que é barulho?

Barulho é, por definição, um som indesejável. Ele varia em sua composição em termos de frequência, intensidade e duração. Sons que são agradáveis para algumas pessoas podem ser desagradáveis para outras. Por exemplo, os sons de música rock são divertidos para alguns, mas outros já os consideram ofensivos. Então, para um som ser classificado como “barulho”, este deve ser julgado pelo ouvinte.

Proteja seus ouvidos do barulho

Muitos dos sons em nosso ambiente, que classificamos como barulho, são irritantes mas não suficientemente altos para causar danos à nossa audição. Outros sons, entretanto, são muito altos e podem causar perda de audição e/ou zumbido. O barulho está em qualquer lugar e não podemos escapar sempre de sua exposição. Quando a exposição ao barulho não pode ser impedida, medidas de proteção devem ser tomadas para limitar ou possivelmente prevenir o dano aos ouvidos.

Perda da audição induzida por (barulho)

Exposição contínua a altos níveis de ruído pode causar deficiência auditiva em algumas pessoas. Há variação considerável de indivíduo para indivíduo relativa à susceptibilidade ao barulho. Entretanto, padrões têm sido estabelecidos que indicam o quanto de som, em média, uma pessoa pode tolerar sem experimentar dano em seus ouvidos. Apesar desses níveis permanecerem controversos, tem-se orientado às pessoas para não experimentar níveis de ruído que excedam 85 a 90 dBA.

A OSHA – Occupational Safety and Health Act – um órgão dos Estados Unidos, estabeleceu critérios de exposição a ruídos baseados sobretudo em 8 horas de duração de exposição a 90 dBA de ruído contínuo. Observou-se que esse critério protegeria aproximadamente 90% das pessoas expostas a níveis 90 dBA por um tempo significativo de horas diárias. Para durações menores à exposição, níveis de ruído mais altos são permitidos sob esse controle. Não há níveis de ruído publicados que sejam conhecidos para especificar o aparecimento do zumbido.

Perigo! O barulho pode prejudicar você

Muitos sons em nosso ambiente excedem os padrões da OSHA e a exposição contínua a esses sons poderia causar perda de audição. A diferença em níveis decibel é maior do que se poderia esperar: 100 vezes mais energia sonora entra nos ouvidos em um ambiente de 95 dB do que num ambiente de 75 dB.

A perda auditiva típica observada com as pessoas que possuem uma longa história de exposição a ruído no trabalho é caracterizada por perda de audição na faixa entre 3000 e 6000 Hz . Na fase precoce à exposição uma perda de audição temporária é observada ao fim de um período de trabalho, mas desaparece após várias horas. A exposição contínua ao ruído resultará em perda auditiva permanente que será de natureza progressiva e se tornará notável subjetivamente ao trabalhador no decorrer do tempo. Estas mudanças nos limiares auditivos podem ser monitorados através de testes audiômetros e isto alertará os médicos que as medidas preventivas deverão ser iniciadas. Nos estágios avançados, uma perda de audição nas frequências altas afetará seriamente a habilidade para entender a fala normal. Em geral, pessoas com perdas auditivas nas frequências altas não experimentarão dificuldades para detectar a fala, mas terão problemas para entender conversações.

Zumbido induzido pelo barulho

Embora a causa exata de zumbido seja desconhecida, muitos pacientes que têm história de exposição a ruído apresentam zumbido. O barulho está muito longe de ser a causa mais provável do zumbido e este pode ou não ocorrer simultaneamente com perda auditiva. A maior parte dos pacientes que apresenta zumbido também tem problemas auditivos, mas uma pequena porcentagem (menos de 10%) tem audição dentro dos limites da normalidade. Uma vez que muitos pacientes apresentam perdas auditivas sem zumbido, não é surpreendente que algumas pessoas com zumbido não tenham deficiência auditiva.

É razoável assumir que qualquer um dos cinco sintomas associados com patologias do ouvido – perda auditiva, zumbido, tontura, dor ou sensação de ouvido cheio – possa ocorrer isoladamente ou sem a presença de outros sintomas.

Zumbido como resultado de exposição a ruído pode ocorrer subitamente ou muito gradativamente. Quando ocorre subitamente, é frequentemente percebido a uma intensidade razoavelmente alta e pode persistir nesse nível permanentemente. Entretanto, para outros, o zumbido é temporário e não retorna mais.

Mais comumente, o aparecimento do zumbido induzido por ruído é gradual e intermitente em seus estágios precoces. Os pacientes referem escutar um padrão médio de zumbido por um curto período de tempo após uma exposição prolongada a sons intensos. Uma vez que o paciente deixa de escutar a fonte do ruído, o zumbido desaparece rapidamente e se torna inaudível até a próxima exposição. Este padrão intermitente frequentemente continua por meses ou anos com períodos de zumbido se tornando cada vez mais longos. Se a exposição ao barulho continua, o zumbido frequentemente aumenta de volume e torna-se constante.

A maioria dos pacientes que tem uma longa história de exposição a ruído refere um zumbido que é tonal em qualidade e de alta frequência, que se assemelha aos tons externos acima de 3000 Hz.

Programa de conservação de audição – O que você pode fazer

Afastar-se de barulho o máximo possível.

Usar protetor auditivo individual quando o barulho for inevitável.

Reduzir o tempo que você se expõe ao barulho.

Reduzir o barulho na sua fonte.

A OSHA pede que os Programas de Conservação de Audição sejam iniciados se os níveis de ruído ultrapassarem a 85 dBA. Muitas companhias desenvolveram programas dentro dessas normas de procedimento, mas outras não. Além disso, em relação às diferenças de susceptibilidade ao barulho, algumas pessoas podem desenvolver perda auditiva e/ou zumbido a partir de níveis de ruído abaixo de 85 dBA. É importante para as pessoas que notam uma perda de audição moderada ou a presença de zumbido tomarem a iniciativa de implementar um programa de conservação auditiva para eles mesmos. Os acessórios de proteção de audição individuais estão disponíveis; são equipamentos de segurança e encontram-se nos distribuidores de produtos auditivos. Estes acessórios apresentam-se em diferentes formas e preços razoáveis. Se usados adequadamente, podem ajudar a resguardar os ouvidos contra danos futuros.

Como o zumbido afeta você

É comum para as pessoas com zumbido notarem um aumento nos seus zumbidos enquanto estão expostos ao barulho. Em função disto referem que não podem freqüentar locais populares, tais como concertos musicais, danças, festas e eventos esportivos. Elas não podem usar cortador de grama, serras, aspiradores de pó, processadores de comida, ferramentas elétricas e armas de fogo. Algumas pessoas tiveram que abandonar seus empregos ou mudar de função por causa do barulho relacionado ao trabalho. Num curto período de tempo após terem se afastado de suas funções, elas percebem que seus zumbidos retornaram aos seus níveis originais.

Outras consequências à saúde com relação à exposição ao ruído

O barulho é conhecido por ter efeitos nocivos não somente sobre a audição, causando estresse em todo o sistema circulatório, respiratório e digestivo. Exposição prolongada ao ruído pode causar dores de cabeça, cansaço e elevação da pressão arterial. O barulho pode interferir no aprendizado de crianças e até mesmo afetar uma criança por nascer.

Se você contribuir para a redução de ruído em seu ambiente, cada órgão de seu corpo e de qualquer pessoa ao seu redor estará sendo beneficiado.

Fonte: https://forl.org.br/InformacaoDoenca/Visualizar/14

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Agende seu horário:

Menu